30 de set de 2011

Raça Akita minha raça!!


Originário do Japão, a raça Akita Inu ganhou esse nome por causa da província em que surgiu (sendo que “inu” é cão em japonês). Com uma aparência que lembra ligeiramente a de um lobo, é um cachorro bem independente, embora leal. Tão leal, que a famosa história de um exemplar da raça já foi contada em diversas línguas na literatura, na tevê e até no cinema.
De porte imponente, o akita é um cão robusto, bastante resistente a doenças. Seu focinho é forte e afilado, não muito comprido. Seus olhos são pequenos e com um ângulo ligeiramente voltado para cima. As orelhas, pequenas e grossas, são triangulares, ligeiramente arredondadas nas extremidades, inclinadas para frente. A cauda, grossa e forte, fica enrolada sobre o dorso.
A pelagem do akita é espessa, dupla. Os pelos de cima são fortes e retos, com o subpelo  macio e denso. Quando filhote, tem a aparência de um bichinho de pelúcia. É encontrado nas cores avermelhado, sésamo (fios vermelhos com as pontas pretas), tigrado e branco. Excetuando-se os dessa última cor, o cão tem pelagem esbranquiçada nas laterais do focinho, bochechas, queixo, pescoço e ventre, além da parte inferior da cauda e da interna dos membros.
Guardião e companheiro
Seu caráter protetor e fiel fez dele muito apreciado pelos históricos guerreiros samurais, bem de acordo com seu rígido código de honra, em que seus senhores, os “shoguns”, eram merecedores de obediência absoluta. No Japão feudal, o akita foi muito usado como cão de caça e até mesmo em combate, tal sua coragem a toda prova.
É afetuoso, mas não é de demonstrar muito carinho, o que leva algumas pessoas a confundirem sua independência com indiferença. Embora não seja de exibir espalhafatosamente seu afeto pelo dono, prefere sua companhia a ficar longe, preso em quintais ou canis. Late muito pouco, por isso mesmo seu latido deve ser respeitado como sério sinal de advertência. Ao contrário de outros cães de guarda, não se exibe para amedrontar os adversários ou intrusos. Fica quieto em um canto que lhe dê boa visão do perímetro, saindo dele se necessário for.
O akita é muito possessivo em relação aos donos e à sua casa. Não é muito simpático a visitas, e é de bom tom mantê-lo afastado em caso de festas no local. Se importunado, rosna como advertência, que deve ser respeitada, pois o cão certamente morderá se continuar a se sentir ameaçado – e sua mordedura é extremamente forte. Também não é aconselhável deixá-lo com outros cães ou animais de outra espécie. É considerado “o cão de um dono só”, tamanha a sua fidelidade. Entretanto, isso não impede que um exemplar adulto seja adotado. Uma vez conquistado por um humano, será seu parceiro fiel para o resto de sua vida. Também é muito asseado, não dando muito trabalho no quesito limpeza (dele e do local em que se encontra).
Na década de 1930, o akita foi considerado Monumento Natural Nacional do Japão. Antes disso, quase foi extinto pelos constantes cruzamentos com outras raças, mas seus apreciadores conseguiram isolar as características que o distinguiam, preservando-o. Na mesma década, a famosa escritora norte-americana Helen Keller (exemplo de superação por ser cega, surda e muda) visitou o Japão. Muito interessada pela raça, ganhou dois filhotes de akita. Um morreu ainda filhote, mas o outro foi um fiel guardião e companheiro da escritora enquanto viveu.
A Segunda Guerra Mundial, na qual o Japão integrava o “Eixo do Mal”, colaborando com a Alemanha e a Itália, quase acabou com o país oriental e, consequentemente, com o akita, pois sua pele era requisitada pelo exército japonês e os alimentos eram muito escassos. Mas algumas famílias esconderam seus cães, e a raça persistiu. A raça conquistou a admiração de membros das forças armadas aliadas, sobretudo dos Estados Unidos, que ajudaram em sua propagação após a guerra. Correspondentes de guerra ocidentais testemunharam soldados aliados dividindo seu próprio alimento com alguns akitas que criaram desde filhotes, alguns levados para o ocidente quando os combatentes regressaram à terra natal.
Cuidados
A farta pelagem do akita deve ser escovada semanalmente, especialmente nas épocas de muda. Banhos, somente uma vez por mês, pois ele é bem competente na tarefa de manter-se asseado. A limpeza dos ouvidos deve ser feita a cada 15 dias. A alimentação deve ser orientada pelo médico-veterinário de confiança da família.
Não é um cão que tenha problemas de saúde com facilidade, por sua robustez. Mas pode ficar doente, obviamente. São problemas comuns à raça a displasia de cotovelo, o entrópio (bordas das pálpebras viradas para dentro), epilepsia, atrofia progressiva da retina e problemas de pele, se não for devidamente escovado.
O fiel Hachiko
Um dos maiores exemplos de fidelidade de um animal em relação a seu dono de que a humanidade já teve notícia tem um famoso akita como protagonista. Em 1923, o professor universitário Eisaburo Ueno, do Departamento de Agricultura da Universidade Imperial (campus de Tóquio), adquiriu o filhote que batizou de Hashiko (na verdade, um apelido, pois “Hachiko” é um diminutivo carinhoso para “Hashi’, seu verdadeiro nome).
Ueno (foto à esquerda) conquistou a afeição do esperto cãozinho. Ambos saíam todas as manhãs de casa e iam até a estação ferroviária de Shibuya, na região metropolitana da capital japonesa. De lá, Ueno seguia no trem para Tóquio para trabalhar, e Hachi voltava para casa. Quando estava perto do horário de seu dono chegar no trem da noite, Hachi ia até a estação e o esperava, mesmo que ocorresse algum atraso. A dupla ganhou a admiração da comunidade local, que sempre olhava com respeito o ritual quase diário dos dois amigos.
Em 21 de maio de 1925, um ano e quatro meses depois que a caminhada diária começou, Hachiko foi, como de costume esperar seu amigo humano na estação, no mesmo lugar de sempre. O trem chegou, mas Ueno não apareceu. Um acidente vascular cerebral (AVC) o matara na universidade, durante uma reunião do corpo docente.
Hachiko foi adotado por parentes do professor, mas fugiu. Recuperado por conhecidos, foi levado para a casa do antigo jardineiro de Ueno, mas fugiu novamente. Quando entendeu que seu dono não morava mais na sua antiga casa, o cão voltou ao lugar de costume na estação ferroviária, sempre esperando pela volta do amigo no mesmo horário, todos os dias. Tocados pelo ato, os habitantes de Shibuya passaram a levar água e comida ao cão todos os dias, em uma demonstração de carinho e respeito à tamanha fidelidade.
Um ex-aluno de Ueno soube da história, e foi checá-la pessoalmente. Logo, ela ganhou as páginas do respeitado Asahi Shinbun, importante periódico japonês. Hachiko ganhou admiradores por todo o Japão, tornando-se uma celebridade nacional. Pais e professores usavam a fidelidade do cão como exemplo de nobreza para as crianças.
O cão passou quase 10 anos em sua espera pelo dono, até falecer em 8 de abril de 1934, fraco e doente, com uma das orelhas caída, sem a imponência de seu porte de outrora (foto à direita). Seu corpo foi enterrado ao lado do de seu dono e foi decretado luto oficial de um dia em sua honra. No mesmo ano, uma estátua de bronze em tamanho natural foi inaugurada no lugar em que o fiel animal esperava por Ueno todos os dias, feita pelo renomado escultor Teru Ando. Logo, a raça akita ganhou mais e mais apreciadores por todo o país, disseminando-se.
Em 1944, a estátua foi lamentavelmente derretida para a produção de armamentos, já que o Japão estava em plena Segunda Guerra Mundial e carecia de recursos. O país saiu como perdedor, mas Hachiko ganhou uma nova estátua em 1948, feita por Takeshi Ando, filho do escultor da original. Instalada no mesmo lugar da primeira, a nova escultura (foto abaixo) está até hoje na frente da estação de Shibuya. A estátua em si não tem nenhum valor, senão o artístico, mas o exemplo de amizade que ela faz muita gente lembrar é que a valoriza. Não são raras as visitas à estação, em honra a grande exemplo que um simples animal deu a tantos seres humanos. Também não são raras as lágrimas dos visitantes.
Hoje, se um dono não tem condições financeiras de cuidar de seu akita e tiver como comprovar isso, o governo japonês assume as despesas.
O exemplo de Hachi foi adaptado para o cinema, no filme “Hachiko Monogatari” (“A História de Hachiko”), em 1987. Com ares ocidentais e modificada para várias décadas depois da real, foi readaptada em um filme dos Estados Unidos de 2009, “Sempre ao Seu Lado” (foto à esquerda), com o ator Richard Gere, que fez muita gente se emocionar ao redor do planeta (disponível em DVD).



http://www.arcauniversal.com/qualidadedevida/bichos/noticias/bicho-da-semana---akita--7870.html

28 de set de 2011

O planeta precisa de você

Apoiamos esta causa! Saiba mais!

Dubai tem resort sete estrelas exclusivo para pets


Este resort tem tudo que os hotéis cheios de estrelas têm. Suítes exclusivas equipadas com camas confortáveis, ar-condicionado, TV de plasma e muito mais. A única diferença é que neste estabelecimento de Dubai só pode se hospedar quem tiver quatro patas.

É isso mesmo, este sofisticado resort sete estrelas é exclusivo para o uso de pets.

A responsável pelo audacioso projeto é a professora Aideen O’Mara, que largou a magistratura para se dedicar aos animais.

O Urban Tails Pet Resort fica na cidade de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e cobra diárias de R$ 169,50.

A vida dos hóspedes bichinhos não poderia ser mais confortável. Com tudo à disposição deles 24 horas por dia, os pets ainda possuem amplos espaços para brincar e se exercitar.

O resort cobra diárias de até R$ 169,50 por uma suíte exclusiva e muito luxuosa
A dona do Urban Tails Pet Resort, Aideen O'Mara, era professora, mas decidiu trocar essa carreira por um projeto que envolvesse sua verdadeira paixão, os animais

A dona do Urban Tails Pet Resort, Aideen O'Mara, era professora, mas decidiu trocar essa carreira por um projeto que envolvesse sua verdadeira paixão, os a...

O resort cobra diárias de até R$ 169,50 por uma suíte exclusiva e muito luxuosa

Os quartos são individuais e equipados com ar-condicionado e televisão de plasma
Os quartos são individuais e equipados com ar-condicionado e televisão de plasma

O resort ainda oferece uma academia e serviço de dogwalker para que os bichinhos se exercitem

resort ainda oferece uma academia e serviço de dogwalker para que os bichinhos se exercitem

http://www.animaisos.org/

27 de set de 2011

Por que os cães cheiram o rabo dos outros animais?

Por que os cães cheiram o rabo dos outros animais?


Na região do ânus dos cães há uma glândula de cheiro que identifica cada animal, como uma espécie de impressão digital para os humanos. Esses odores fornecem muitas informações sobre o bicho. Além disso, antes de serem domesticados, os cães identificavam o líder da matilha pelo cheiro do ânus, pois desta forma sabiam se ele estava comendo freqüentemente – e portanto defecando com freqüência – e se estava ingerindo a melhor parte da caça, que possui um cheiro diferenciado e é de propriedade do líder. Quando um cão quer mostrar autoridade, ele levanta o rabo como se tivesse orgulho do cheiro do seu ânus. Por outro lado, um animal submisso age de forma inversa, escondendo a sua cauda.


http://www.caocidadao.com.br/curiosidades_animais.php

curiosidades..porque os cães fazem xixi nos pneus dos carros?


Por que os cães fazem xixi nos pneus dos carros?
Esse é um fato que deixa muito dos motoristas doidos da vida. Mas você sabe por que os cachorros fazem isso? A verdade é que existem alguns materiais que os cães gostam mais de usar como banheiro. É o caso, por exemplo, da madeira e da borracha. Mas o motivo que leva o cachorro a fazer xixi nos pneus dos carros, não é o material em si, e sim o fato de a roda conter uma série de cheiros adquiridos durante os trajetos diários, passando por cima de quase tudo, inclusive da urina de outros cães. Como alguns cachorros já “visitaram” aquele lugar e deixaram seu registro ali, o cão então sente a necessidade de também deixar o sua marca.

Oito dicas para o cão parar de cavar o jardim


Muitas vezes, uma dica basta para resolver o problema das escavações caninas. Mas, para saber qual é essa dica, é preciso saber antes o que leva o cão a cavoucar.
1. Crie cantinhos excepcionais
Por instinto, o cão dá uma cavadinha onde irá se deitar - costuma fazer isso até em sofás e pisos frios! Normalmente, após a cavadinha, dá umas rodadas e se deita. Muitos cães gostam de deitar-se em lugares frescos do jardim ou que permitam acompanhar o movimento da casa ou da rua. O problema é que, muitas vezes, há um canteiro de flores ou grama justamente nesses lugares. O truque é preparar cantinhos perfeitos para o cão, levando em consideração o que ele mais deseja. Às vezes, até sugiro uma pequena reforma paisagística.
2. Gaste o excesso de energia
Quanto mais energia o cão tiver, maiores as chances de ele cavar grandes buracos. Uma maneira de controlar o excesso de energia é levá-lo para passear diariamente e/ou exercitá-lo bastante, com brincadeiras.
3. Combata o tédioCães também ficam entediados! Gostam de passear, caçar, brincar, etc., e não de ficar isolados em um quintal. Crie atividades para tornar a vida do seu cão mais interessante. Nem que seja escondendo petiscos no jardim para ele encontrar. Ler artigos sobre enriquecimento ambiental e comportamental ajuda a ter idéias para entreter o cão.
4. Evite que enterre objetos
Enterrar ossos naturais e alimentos para consumir mais tarde também faz parte do instinto canino. Muitos cães enterram apenas alguns tipos de objetos. Se o seu fizer isso, não deixe de lhe dar os objetos daquele tipo. Mas, em vez de entregá-los, mantenha-os amarrados numa corda. Assim, ele não poderá levá-los para enterrar. Um jeito de evitar que o cão se enrosque na corda é pendurar o objeto de modo a não encostar no chão. Esse método é útil também para combater a possessividade canina por determinados objetos.
5. Prepare um cantinho para grávidas
Cadelas prestes a parir ou com gravidez psicológica procuram cavar um ninho para os filhotes. Nesses casos, devemos preparar cantinhos perfeitos para elas. E, quando a gravidez for psicológica, pode-se, ainda, tratar a fêmea com inibidores de hormônio (consulte seu veterinário).
 
6. Torne desagradável desenterrar
Se o cão cava lugares específicos, antes de tapar os buracos encha-os com os próprios cocôs dele. É praticamente certo que isso o fará desistir de cavar aquele local. Com o tempo, você irá minando todos os lugares mais cavados. Essa é a minha dica preferida!
7. Reestruture seu jardim
Procure adaptar o estilo do seu jardim à presença canina. Às vezes, algumas pequenas alterações podem evitar muita dor de cabeça e proporcionar menos estresse no convívio. Pedras nos lugares em que o cão cava, assim como cercas e telas, podem, muitas vezes, ser a melhor solução. Um dos meus clientes resolveu o problema com telas postas no solo dos canteiros que o cachorro cavava. Nessa alternativa, caso se queira ocultar a tela, basta jogar um pouco de terra por cima. Ou esperar que as plantas cresçam. Há, porém, o inconveniente de ser preciso retirar a tela ou cortá-la, para plantar nova muda. Em alguns casos, sugiro construir uma caixa de areia no jardim para o cão poder se divertir, cavando. Afinal, cavar é um comportamento normal e saudável.
8. Só dê bronca durante a ação errada
Nem pense em dar bronca no cão se não for no exato momento do comportamento inadequado. Está mais que comprovado: bronca fora do momento exato, além de não funcionar, pode deixar o cão confuso, o que aumenta as chances de surgirem problemas de comportamento. A melhor ocasião para repreender o cão é quando ele começa a cavar um lugar proibido. Nesse momento, procure fazê-lo sentir desconforto. Jogue um pouco de água nele ou faça um ruído que o assuste, por exemplo. Mas só faça isso se ele não for medroso nem inseguro. Algumas pessoas conversam com o cão quando ele erra. Tentam explicar que agiu incorretamente. Não faça isso. O cão pode gostar dessa atenção e começar a cavar na expectativa de receber mais!


http://www.caocidadao.com.br

23 de set de 2011

SAVANNAH CABANNAH casinha diferente para seu cão

Denver-baseado arquiteto Andrew Wright precisava de uma casa para o seu pastor australiano que foi forte o suficiente para protegê-la dos elementos inverno rigoroso.Apaixonado por design em todas as formas e tamanhos, ele decidiu projetar e construir sua casa, ele próprio cão chamado "Savannah Cabannah" depois que o cão que o inspirou.Felizmente, para todos vocês DIY'ers lá fora, Savannah André Cabannah planos e instruções de construção estão disponíveis para compra .

Por US $ 20, Andrew-mail para você o seu protegido arquivos de PDF de alta qualidade e arquivos JPEG com 100% de dimensões precisas. Ou, para um adicional de US $ 4 (S / H + custos de impressão), ele vai imprimir os planos fora do papel em 11 "x17" e enviá-los para você. O pacote inclui nove páginas de instruções muito simples e visualmente gráfica sobre a forma de colocar esta casa de cachorro juntos. Abaixo estão alguns exemplos de página para a grande casa, mas os planos adicionais disponíveis para pequenas , médias e extra grande cães.







De acordo com Andrew, o projeto custou cerca de US $ 80 a completa. Este preço inclui madeira, uma caixa de parafusos, metal corrugado, e até mesmo bebidas! Em desta página em "custo", Andrew dá algumas ótimas dicas sobre como poupar dinheiro ao construir sua própria Savannah Cabannah. Se você estiver acessível com ferramentas e olhando para um projeto grande fim de semana, este só poderia ser uma tarefa legal vale a pena assumir. Não se esqueça de fazer seus próprios adicionando um incrível trabalho de pintura ou um sinal personalizado com o nome do seu cão sobre ele. 

22 de set de 2011

Calmantes naturais para cães


NOVIDADE  | NEM sempre a vida de um cachorro é pura paz e harmonia. Situações como banho e tosa, viagens, isolamento, introdução de novos animais na casa e os terríveis fogos de artifício, são capazes de deixar muitos cães estressados.
ESSA exposição a algumas situações estressantes pode gerar sinais de nervosismo, ansiedade e agitação nos cães, afetando o equilíbrio do organismo e diminuindo assim a resistência a doenças.
FOI pensando nestas situações que a empresa Organnact desenvolveu o Calmyn Dog e o Fitocalmyn Palitos, calmantes naturais e de uso seguro. Segundo a fabricante, estes suplementos alimentares são indicados para cães de qualquer idade ou fase da vida, e combinam triptofano, tirosina e nutrientes capazes de melhorar o relacionamento e a qualidade de vida do animal.
O CALMYN Dog é indicado para situações estressantes, já o Fitocalmyn Palitos pode ser usado na manutenção de animais que apresentaram problemas comportamentais e também para o controle de ansiedade dos cães. Contém aminoácidos, minerais, vitaminas e um componente fitoterápico (Passiflora incarnata).

Filhote de leão branco nasce dentro de circo na Alemanha


Em Hamburgo, na Alemanha, o circo Krone apresentou um filhote de leão branco que nasceu no fim de agosto dentro do circo. Um nascimento deste tipo é raro e ocorreu enquanto as autoridades alemãs debatem a proibição de animais selvagens em circos.

Os leões brancos são muito raros e não existem mais em habitat natural, apenas em cativeiro. De acordo com a WWF, a subespécie não é albina e sim derivada de uma mutação genética rara do leão africano, que faz com que os animais sejam dessa cor.


Autoridades alemãs estão debatendo lei que proibiria animais selvagens em circos  Foto: AFP

Comedouros 3 em 1 para pets...

Sleepypod, conhecida por suas bolsas de transporte, lançará no final de Setembro um comedouro três-em-um onde você pode guardar, transportar e servir comida e água simultaneamente sem que se misturem ou derramem. A Yummy Bowl vem em três peças: a tigela de água que serve como base, a tigela de comida que desliza para dentro da tigela de água fazendo-a anti-respingos, e uma tampa que veda de forma segura para que o conteúdo não derrame no transporte. Essa tampa também se transforma num comedouro extra quando virada ao contrário. Nesse caso, pode-se colocar água na parte inferior para manter as formigas longe da comida. Moderna e bem bolada!


yummy-bowls-sleepypod-1

yummy-rest

yummy-loaded

fonte: http://www.dogloading.com/

16 de set de 2011

COLAR DE IMPRESSÃO PERSONALIZADA PET NARIZ

 personalizado Pet Colares Imprimir narizícone são pingentes esterlina lindo e prata handmade elenco do nariz original do seu cão pequeno. Porque o nariz de cada animal é tão distintas como impressões digitais de um ser humano, seu personalizado Pet Colar Imprimir Nariz é garantido para ser tão especial como o seu amor por seu cão.



O processo é simples. Ordem quer um pingente grande ou pequeno para atender o nariz do seu cão. Em seguida, você receberá um kit especial com os materiais e instruções para fazer um molde do nariz de seu animal. Todos os componentes não são tóxicos, eo processo é simples e segura. Você envia, então, que o molde para o artista, que lança o pingente de prata para você alta qualidade esterlina. Você pode até ter nome de seu animal de estimação gravado na parte traseira!







 Colares impressão personalizada da pataícone também estão disponíveis.


encomendar o seu pelo site uncommongoods.com   
fonte:dogmilk

Campanha Não abandone seu animal!!Abandonar é tão cruel quanto maltratar!

Oxxy Propaganda desenvolveu uma excelente campanha para o ONG Amigos dos Bichos, que representa perfeitamente a idéia do quanto é invisível e silenciosa a violência do abandono de animais. Afinal, eles não têm como reclamar, muito menos como denunciar. E as pessoas que abandonam infelizmente não parecem ter a consciência de que estão fazendo um mal. Para passar essa idéia, a campanha mostra cães camuflados no cenário comum, com o seguinte slogam: “Abandonar faz a violência ficar quase invisível. Não deixe isso virar algo normal, os animais não podem falar, mas eles se expressam”.  Abandonar é tão cruel quanto maltratar!
tirado do site :dogloading
Anun_AmB_REVISTA_CARAS_INGLES.indd

amigos-dos-bichos-ads


amigos107261_4_600

8 de set de 2011

Cairo o cão que ajudou a capturar Osama Bin Laden-colete high tech

(K9 Storm)


Tem o nome de Cairo e já foi considerado “o cão mais corajoso da nação [EUA]”. A razão é simples: ele acompanhou os 80 Navy SEALs que invadiram a mansão de Osama Bin Laden e mataram o terrorista mais conhecido do mundo.
Cairo é à prova de balas e consegue gravar imagens em alta definição mesmo na escuridão. Tudo isto graças a um treino de elite e a um colete “militar”, cujo preço pode ir dos 14 mil aos 21 mil euros.
(K9 Storm)
(K9 Storm)
Este equipamento, que tem o nome de “Intruder”, é fabricado pela empresa canadiana K9 Storm, que já em 2010 tinha recebido do exército norte-americano mais de 60 mil euros para equipar quatro cães dos SEALs.
Não é um equipamento novo, pois já é utilizado por outros exércitos, como o israelita, que os utiliza nas equipas de cães farejadores que ajudam a encontrar bombas.
(K9 Storm)
(K9 Storm)
Uma câmara de vídeo nas costas do cão permite a quem dirige a operação ver o ambiente através de monitores portáteis. Esta câmara foca automaticamente as imagens e ajusta-se, também de modo automático, para visão noturna. A lente está preparada para resistir a impactos fortes e claro, é resistente à agua.
O “Intruder” vem equipado com um arnês que permite aos SEALs lançarem-se de um helicóptero com o cão junto ao corpo, uma vez que o equipamento torna o peso do animal mais sustentável. Um microfone e uma pequena coluna de som, permitem aos treinadores dar ordens ao Cairo, mesmo à distância, incluindo um sistema de segurança que impede uma eventual intercepção do sinal pelo inimigo.
(K9 Storm)
(K9 Storm)
O material destes coletes são à prova de bala – sejam de pistolas de 9m ou de Magnums de calibre 45. Facas e outras armas brancas também não têm grande hipotese de penetrar no colete, que foi pensado após um motim prisional em que Jim Slater (co-fundador da K9 Storm) participou.
A empresa canadiana tem uma clientela variada em 15 países – que vão da China à Suiça. A K9 não fornece apenas exércitos, mas também equipas de intervenção rápida, guardas prisionais, equipas de salvamento, guardas fronteiriços e empresas privadas de segurança.
(K9 Storm)
(K9 Storm)
FONTE: http://www.movimentomilenio.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Siga-me no Twitter

Follow babyandfamily on Twitter